Ser ou não ser Fast Fashion?

Depois da crise financeira abalar o mundo do consumo, tornaram-se comuns colaborações entre redes de Fast Fashion, como H&M e Macy’s e grandes nomes da moda como Karl Lagerfeld, Lanvin, Missoni e mais recentemente Versace!

Aqui no Brasil temos o exemplo da C&A (Que trouxe até Stella McCartney) e Riachuelo (Que já contou com Pedro Lourenço para os meninos e agora no final do ano irá lançar 5 coleções em parceria com vários estilistas, entre eles André Lima e Huis Clos)!

Mas tem gente que ainda não se animou com a idéia! Em entrevista para a revista Because, Miuccia Prada diz já ter negado convites e fez a seguinte declaração: “”Eles me convidaram bastante, mas eu não gosto de fazer versões baratas do que eu faço. O que eu faço faz muito sentido da maneira como eu faço. Onde o tecido é feito e sua qualidade é importante. A qualidade do meu trabalho é presente em toda o processo de fabricação, não apenas no design. A cópia barata não me interessa. Fast Fashion deveria ter sua própria qualidade, e eu digo isso, se eu fosse tão genial para fazer um grande trabalho nesse gênero, eu faria isso para a minha empresa”

A declaração pode soar presunçosa, mas pela minha experiência a qualidade final das peças nunca é exatamente exemplar. Mesmo com todo o cuidado tomado pela estilista na escolha dos tecidos e acabamentos, as peças da coleção que Stella McCartney fez para a C&A, por exemplo, não faziam jus ao talento da estilista.

A verdade é que o trabalho da Miuccia tanto na Prada, quanto na Miu Miu, são excepcionais, a inovação e sua força criativa impressionam, temporada após temporada. Então o questionamento dela pode ser explicado com a seguinte questão: “Como fazer uma peça de US$ 15,ooo,oo ter sentido custando US$ 25,00?”. Não pelo luxo, mas sim pelo processo de manufatura complexo que utiliza entre outras coisas, tecidos tecnológicos caríssimos, será que as peças da Prada (Substitua Prada por qualquer grande marca) valem à pena se for pra levar pra casa apenas a forma e não o “conteúdo”?

Miuccia me colocou pra pensar, novamente…

*Imagens Reprodução

Anúncios

7 pensamentos sobre “Ser ou não ser Fast Fashion?

  1. Não gostei da forma como ela disse, mas, de fato, faz sentido.
    Acho que muita gente compra só a etiqueta mesmo, afinal são marcas caras que muitos nunca terão acesso.
    Ai, agora vou ficar matutando nisso…
    haha

    Beijos

  2. Ótimo post! Uma reflexão incrível!
    Temos sempre que pesar os dois lados; ao mesmo tempo que é muito bom ter uma peça “baratinha” assinada por um estilista incrível, essa peça pode realmente não fazer jus ao seu talento e trabalho!

    Beijos, Paola
    http://universodapaola.wordpress.com/

  3. Miuccia que me desculpe mas se eu pudesse teria comprado uma das peças que a Stella McCartney fez pra C&A só pra guardar (sou muito baixa pra qualquer peça dela), não consigo comprar uma da marca própria nem se vender meus órgãos, vale só pelo design sim, claro que não tanto quanto, mas vale!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: